Manaus, Sábado, 21 de Setembro de 2019

Adaf comemora sete anos com saldos positivos em defesa agropecuária do Amazonas

14:37 - 29/08/2019

A Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Amazonas (Adaf), comemora nesta quinta-feira (29), 7 anos de atuação em defesa agropecuária no Estado do Amazonas com saldos positivos.  Atualmente, a Adaf executa atividades em quatro Barreiras de Vigilância Agropecuária (BVA), sendo duas em Manaus, uma no Aeroporto Internacional de Manaus e uma barreira volante, uma em Humaitá, uma em Jundiá (Roraima) e uma em Parintins.

De acordo com o diretor-presidente da Adaf, Alexandre Araújo, a autarquia é responsável em elaborar, coordenar e executar a política de defesa agropecuária no Amazonas, no sentido de garantir a preservação e a sanidade do patrimônio animal e vegetal do Estado, garantindo a saúde pública. Além de promover a idoneidade dos insumos e dos serviços utilizados na agropecuária, a identidade e a segurança higiênico-sanitária e tecnológica dos produtos agropecuários finais destinados aos consumidores.

 

Desta forma, a agência tem incrementado as ações no combate a clandestinidade e a fraudes de produtos de origem animal somados a apreensão de 12.599 quilos de produtos cárneos, 312 quilos de pescado e 5.953 quilos de produtos lácteos impróprios para o consumo humano.

“Nesse sentido, a Adaf tem muitas atribuições, pois desenvolve ações pertinentes à defesa agropecuária em todo território amazonense, garantindo a saúde dos animais e sanidade dos vegetais e suas partes. Além disso, valorizando os produtos regionais e estamos investindo na modernização da Adaf, com equipamentos tecnológicos para a melhoria dos serviços nos escritórios do interior do Estado”, comentou o diretor-presidente da Adaf, Alexandre Araújo, acrescentando que as Unidades Locais de Sanidade Animal e Vegetal (Ulsavs), da Adaf estão sendo estruturadas com carros, voadeiras, motocicletas e entre outros.

Atuação- Na área vegetal, a Adaf vem atuando, assegurando a identidade e a sanidade dos produtos vegetais destinados aos consumidores, controlando o trânsito de vegetais no Estado, impedindo com isso a introdução e disseminação de Pragas Quarentenárias e Não Quarentenárias Regulamentadas.

Nas atividades da área animal, a autarquia vem desenvolvendo programas de prevenção e controle de doenças relacionados ao Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa (Pnefa); Programa Nacional de Controle e Erradicação da Brucelose e Tuberculose (PNCEBT); Programa Nacional de Controle da Raiva dos Herbívoros e Outras Encefalopatias (PNCRH); Programa Nacional de Sanidade Avícola – PNSA; Programa Nacional de Sanidade de Caprinos e Ovinos (PNSCO); Programa Nacional de Sanidade Suídea  (PNSS); Programa Nacional de Sanidade dos Equinos (PNSE); Programa Nacional de Sanidade dos Animais Aquáticos de Cultivo; e o Programa Nacional de Sanidade Apícola  (PNSAp).

A Adaf desenvolve ações voltadas para o controle e fiscalização de agrotóxicos e insumos veterinários. Desta maneira, vem realizando o cadastro de produtos agrotóxicos e afins, registro de empresas que comercializam, produzam, importem, exportem, manipulem agrotóxicos ou que sejam prestadoras de serviços, 
fiscalização de estabelecimentos e a fiscalização de propriedades, além da fiscalização da devolução de embalagens vazias.  

Atua fortemente também, com ações de educação sanitária, visando conscientizar os produtores rurais, técnicos e a população de modo geral, para se manterem informados e atualizados sobre a importância da salvaguarda dos rebanhos, plantações e a qualidade dos produtos, subprodutos e insumos agropecuários. Só neste primeiro semestre de 2019, a Adaf atingiu mais 6 mil pessoas com ações de educação sanitária em todo Estado.

Histórico- No Amazonas, antes da criação da autarquia, o serviço de defesa agropecuária funcionava através de uma coordenação no Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal e Sustentável do Amazonas (IDAM), em 1998. Em 2001 tornou-se um departamento dentro do Idam. Já em 2003 por meio de um regimento interno da Secretaria de Estado da Produção Rural (Sepror), as ações de defesa agropecuária passaram à ser executadas pela Comissão Executiva De Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Codesav). E em 2012 a Adaf de fato foi criada pela lei n° 3.801 do dia 29 de agosto.

A Adaf possui sede em Manaus, onde norteia e centraliza as ações que são executadas em 51 escritórios, estando presente em 47 municípios, localizados em áreas estratégicas do Estado, além de promover atuação integrada com estados vizinhos da Amazônia Ocidental, entre eles as Agências de Defesa de Rondônia (IDARON), de Roraima (ADERR), Pará (ADEPARÁ) e o Instituto de Defesa Agropecuária do Acre (IDAF). Outros parceiros tem sido o Sistema Sepror, a Federação da Agricultura e Pecuária (FAEA), o Conselho Regional de Medicina de Medicina Veterinária do Amazonas (CRMV), Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM), a Superintendência Federal de Agricultura do Amazonas (SFA-AM) e a Federação dos Trabalhadores da Agricultura Familiar do Amazonas (Fetagri).

Ainda em 2019, a Adaf implantará mais três barreiras no interior do Amazonas, nos municípios de Careiro Castanho, Novo Aripuanã e Sucundurí, região sul do Amazonas para intensificar as fiscalizações de trânsito de produtos de origem animal e vegetal.