Manaus, Terça-Feira, 05 de Março de 2024

Adaf define celeridade para pedidos de registro como prioridade em 2023

11:35 - 03/02/2023

Atualmente tramitam na Agência de Defesa 223 processos para adesão ao SIE-AM, Sisbi-POA e Selo Arte; e registro de novas granjas

A Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Amazonas (Adaf) definiu como prioridade, ao longo de 2023, dar celeridade aos pedidos de registro e certificação feitos por estabelecimentos locais junto à autarquia. O diretor-presidente da Agência, José Omena, destaca que o fortalecimento da economia do estado e o estreitamento de laços com a sociedade e o produtor rural são objetivos da defesa agropecuária e florestal, tanto quanto garantir a sanidade dos animais e a inocuidade dos produtos de origem animal que chegam à mesa dos amazonenses.

“Queremos que a Adaf seja vista como um órgão comprometido em auxiliar os produtores, zelar pela saúde pública e fomentar a economia do Amazonas, por meio da certificação de novos empreendimentos capazes de gerar emprego e levar os produtos locais para outras unidades da federação”, destacou Omena, que assumiu a presidência da Adaf no último dia 17 de janeiro.

A Educação Sanitária nas escolas, de acordo com o diretor-presidente da autarquia, é outro aspecto que receberá um olhar especial. Com um Núcleo de Educação Sanitária (NESan) criado, em março do ano passado, por meio da Portaria nº 045/2022, a Agência de Defesa, segundo ele, estará mais perto da comunidade, com a realização de palestras em escolas das redes públicas estadual e municipal.

“As crianças são o futuro do nosso país e comprovadamente grandes multiplicadoras de mudanças no seio familiar. Formar cidadãos desde a base, sobre temas como saúde animal, preservação do patrimônio animal e vegetal do Amazonas, produção agropecuária e resguardo da saúde pública é a forma mais eficaz e inteligente de fortalecer a defesa agropecuária”, enfatizou.

Registros

No Amazonas, a Adaf é o órgão responsável por registrar os estabelecimentos/agroindústrias sob o Selo de Inspeção Estadual (SIE-AM). O selo garante que os produtos têm a qualidade higiênica e sanitária necessária, e atesta que o empreendimento foi inspecionado e é acompanhado pela Adaf. Atualmente, 162 estabelecimentos possuem SIE-AM ativo no estado, conforme dados da Gerência de Inspeção de Produtos de Origem Animal (Gipoa/Adaf).

Já o selo do Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal (Sisbi-POA), antes emitido pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), a partir de dezembro de 2021 passou a ser emitido pela Adaf. O selo permite a comercialização para todo o Brasil dos produtos de origem animal produzidos no Estado. Atualmente, quatro estabelecimentos têm o Sisbi-POA no Amazonas.

Para os produtos alimentícios artesanais, produzidos com matéria-prima de origem determinada ou produzida na propriedade onde a unidade de processamento está localizada, a Adaf tem à disposição dos estabelecimentos interessados o Selo Arte. No Amazonas, quatro estabelecimentos já aderiram a este selo.