Manaus, Domingo, 26 de Maio de 2024

Adaf encerra última campanha de vacinação contra febre aftosa no Amazonas

15:40 - 30/04/2024

Produtores têm até o dia 15 de maio para comunicar a vacinação junto à autarquia

O Governo do Amazonas, por meio da Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Amazonas (Adaf) encerrou, nesta terça-feira (30/04), a última campanha de vacinação contra a febre aftosa. A retirada da vacinação, conforme portaria do Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa), abre espaço para que o Amazonas atinja o status de zona livre de febre aftosa sem vacinação a partir de quinta-feira (2/05).

No município de Careiro da Várzea (distante 25 quilômetros de Manaus), o encerramento oficial da campanha aconteceu na Fazenda Cruzeiro. Já em Itacoatiara (distante 176 quilômetros de Manaus), a celebração foi no Distrito de Novo Remanso.  A diretora técnica da Adaf, Elisa Mara Dirane, representou o diretor-presidente da autarquia, José Omena.

Elisa Mara ressaltou o momento histórico que a retirada da vacinação representa. “Há 20 anos, surgiu no município de Careiro da Várzea, o primeiro foco de febre aftosa do Amazonas. E hoje, celebramos o fim da necessidade de vacina, um passo fundamental rumo ao status de livre de aftosa sem vacinação”, celebrou.

O diretor-presidente da Agência de Defesa, José Omena, reforça que o compromisso dos produtores não chega ao fim com o encerramento da vacinação contra a febre aftosa. “É muito importante que os produtores não deixem para notificar na última semana, evitando filas e demora excessiva nos escritórios. Mas tem que notificar, ou será como se não tivesse vacinado”, diz.

Para que o Amazonas tenha o seu status reconhecido, é necessário que a imunização dos bovídeos (bovinos e bubalinos) seja notificada até o dia 15 de maio junto aos escritórios da Adaf ou por meio do atendimento remoto no telefone: (92) 99238-5568.

A orientação é direcionada aos 49 municípios onde a vacinação de bovinos e bubalinos ainda era obrigatória: Alvarães, Amaturá, Anamã, Anori, Atalaia do Norte, Autazes, Barreirinha, Benjamin Constant, Beruri, Boa Vista do Ramos, Borba, Caapiranga, Careiro, Careiro da Várzea, Coari, Codajás, Fonte Boa, Iranduba, Itacoatiara, Itapiranga, Japurá, Jutaí, Manacapuru, Manaquiri, Manaus, Maraã, Maués, Nhamundá e Nova Olinda do Norte.

Também constam as cidades de Parintins, Rio Preto da Eva, Santo Antônio do Içá, São Paulo de Olivença, São Sebastião do Uatumã, Silves, Tabatinga, Tefé, Tonantins, Uarini, Urucará, Urucurituba, Barcelos, Carauari, Juruá, Novo Airão, Presidente Figueiredo, Santa Isabel do Rio Negro, São Gabriel da Cachoeira e parte de Tapauá.

A partir desta quarta-feira, 1° de maio, a venda e estoque de vacinas contra febre aftosa estão proibidas, segundo determina a Portaria nº. 665, do Mapa. A Adaf alerta que os produtores que não fizerem a comunicação dentro do prazo serão multados no valor de R$ 40 por animal e R$ 300 por propriedade. Essas propriedades também podem ter o registro suspenso e ficam impedidas de solicitar a emissão de Guia de Trânsito Animal (GTA).