Manaus, Sábado, 28 de Maio de 2022

Adaf inicia primeira etapa da campanha de atualização cadastral de animais no mês de maio

16:38 - 02/05/2022

Campanha contempla os 13 municípios do Amazonas livres de febre aftosa sem vacinação

O Governo do Amazonas, por meio da Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Amazonas (Adaf), promove a primeira etapa da campanha de atualização cadastral de animais, de 1º a 31 de maio, nos 13 municípios do Estado classificados como zona livre de febre aftosa sem vacinação. Os produtores destas cidades deverão procurar uma das unidades da Adaf, no interior, ou contatar o atendimento remoto da autarquia via WhatsApp.
A atualização da quantidade de animais de produção existentes nestas cidades – bois, búfalos, cavalos, jumentos, mulas, suínos, cabras, ovelhas, galinhas, perus, patos, aves ornamentais, peixes e abelhas – é uma das estratégias adotadas para manter o status de zona livre de febre aftosa sem vacinação, concedido pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) aos municípios de Apuí, Boca do Acre, Canutama, Eirunepé, Envira, Guajará, Humaitá, Itamarati, Ipixuna, Lábrea, Manicoré, Novo Aripuanã, Pauini e parte do município de Tapauá.

A atualização é obrigatória e deve ser realizada através do preenchimento de uma ficha de notificação disponível no site da autarquia. O documento contendo a relação de animais existentes na propriedade pode ser entregue de forma presencial, em uma das unidades da Adaf, ou encaminhada por meio do atendimento remoto da autarquia pelo número (92) 99238-5568 (WhatsApp).
A coordenadora do Programa Nacional de Vigilância para Febre Aftosa (Pnefa) no Amazonas, Joelma Silva, explica que a atualização cadastral oportuniza a mensuração dos rebanhos pecuários da zona livre sem vacinação para febre aftosa.
“Estes dados facilitam a fiscalização, o enfrentamento de doenças e o acesso a uma estimativa do rebanho existente no estado. Por isso, os produtores rurais devem procurar uma Unidade Local de Sanidade Animal e Vegetal para atualizar todos os animais da propriedade”, enfatizou.
Multa – Os criadores que deixarem de enviar as informações, até o dia 31 de maio, estão passíveis de multas no valor de R$ 40 por animal de grande porte não declarado, e de R$ 20 para os de pequeno porte. O descumprimento é punido ainda com multa de R$ 300 por propriedade e bloqueio da ficha de movimentação – documento que concentra os registros de todas as emissões de Guias de Trânsito Animal (GTA) e declarações da propriedade.
Conforme a última atualização cadastral de animais no Amazonas, realizada pela Adaf, entre os meses de novembro e dezembro, existem 2.011.591 bovídeos; 46.880 suínos; 22.186 ovinos; 7.044 caprinos; 35.030 equinos; e 2.308.491 aves.