Manaus, Terça-Feira, 05 de Março de 2024

Adaf recebe especialista em educação sanitária

17:11 - 08/02/2023

O encontro reuniu integrantes do núcleo de educação sanitária

Núcleo de Educação Sanitária (NEsan) da Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Amazonas (Adaf) recebeu, nesta quarta-feira (8), o engenheiro agrônomo Carlos Albuquerque, para um encontro com os integrantes do núcleo, que é composto por médicos veterinários e engenheiros agrônomos da autarquia.

A médica veterinária Paula Araújo, uma das coordenadoras do núcleo, explicou ao engenheiro o funcionamento da Adaf e como as gerências que compõem a agência estão divididas, além do funcionamento do NEsan.

 

Na ocasião, Carlos contou sobre a sua trajetória atuando na educação sanitária dentro do setor agropecuário e sobre os métodos aplicados para que as ações fossem executadas com êxito. O engenheiro, que já atuou em vários órgãos governamentais, é criador do método SOMA, onde os focos são qualidade de aprendizado e aumento de capacidade em pessoas que atuam diretamente no setor agropecuário, como produtores rurais.

“O método SOMA tem a capacidade de reunir uma série de dados. Antes de realizar um curso ou treinamento de educação sanitária, são recolhidas as informações do que as pessoas sabiam e faziam sobre determinado tema. Depois, é apresentada uma orientação técnica, dada por profissionais habilitados, e, no final, após a aplicação, nós vemos o que o produtor aprendeu. Após um determinado tempo, é feito novamente esse teste de avaliação para averiguar o que aprendeu e os novos comportamentos. É um processo orientado para obter novas mudanças”, explicou o engenheiro agrônomo.

Carlos teve maior atuação na área vegetal, no uso correto e seguro de agrotóxicos, onde obteve os maiores resultados e chegou a ganhar prêmios nacionais e internacionais através do método. O engenheiro ainda destacou a importância de se trabalhar com a educação sanitária.

“A educação sanitária é essencial para as pessoas saberem o que fazer, como prevenir certas doenças que não são existentes no Brasil, mas que podem entrar através de países vizinhos. Então, precisamos trabalhar com o preventivo, não é só depois que acontece que precisamos fazer algo. É necessário atuar para impedir doenças que atinjam a área animal e vegetal, e manter a preservação da agropecuária”, frisou.

Para a coordenadora Paula Araújo, foi importante escutar as percepções e conselhos do engenheiro. “Dr. Carlos tem uma experiência ímpar em Educação Sanitária. Isso nos inspira a buscar as estratégias mais adequadas para que a gente consiga repassar à sociedade as informações e conhecimentos que beneficiam produtores e consumidores. Afinal é por meio da prevenção e controle de doenças e outros riscos sanitários que a gente consegue desenvolver um sistema produtivo de valor”, destacou.

Criado em março de 2022, o NEsan tem como objetivo promover, por meio da educação sanitária, a saúde de animais, qualidade dos produtos de origem animal, além de resguardar a saúde humana e ambiental.