Manaus, Terça-Feira, 23 de Abril de 2024

Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Amazonas (Adaf) regulariza sete granjas avícolas

08:00 - 16/03/2023

Os novos estabelecimentos passam a atuar de forma legal e somam, aproximadamente, 80 mil animais

A Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Amazonas (Adaf) entregou, nesta quarta-feira (15), os registros a sete granjas avícolas, que passam a atuar de forma legal. A entrega aconteceu na sede da Federação de Agricultura e Pecuária do Estado do Amazonas (Faea), no Centro de Manaus, com a presença de autoridades ligadas ao setor primário.

O diretor-presidente da Adaf, José Omena, destacou que se trata da maior entrega de registros de granjas avícolas realizada pela Adaf. Juntos, os novos estabelecimentos regularizados somam, aproximadamente, 80 mil animais. “Cada registro, cada granja dessa teve um trabalho rigoroso da Adaf na questão da defesa”, afirmou, acrescentando que a expansão da produção local beneficia o consumidor final. “Quando você adquire produtos da nossa região, são fresquinhos, de alta qualidade. Os que vêm de fora, muitas vezes, chegam aqui com a validade já perto do vencimento”, completou.

Com os novos estabelecimentos, vai a 35 o número de granjas avícolas registradas junto à Adaf. A agência reforça que todas as granjas que alojem mais de mil bicos e que comercializam aves, produtos ou subprodutos, precisam ter registro na autarquia, que deve ser atualizado anualmente.

De acordo com as diretrizes do Programa Nacional de Sanidade Avícola (PNSA), do Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa), só podem fazer novos alojamentos de aves as granjas que estiverem com o registro atualizado junto ao órgão de defesa agropecuária.

O proprietário da granja Jabuti, Sandro Marques, comemorou o registro do estabelecimento, que emprega quatro pessoas e funciona no quilômetro 53 da rodovia AM-010. “O registro da granja vai permitir dar seguimento ao projeto de ampliar a produção de ovos, que é nosso objetivo, e, principalmente, agir dentro da legalidade”, disse.

A Jabuti aloja cerca de 10 mil aves de postura. “A produção da granja é destinada, basicamente, a consumidores locais, vizinhos, pessoas que têm sítios na região e alguns mercados pequenos de Manaus”, contou o proprietário.

Além da Jabuti, receberam registro as granjas Rejane, Ziza, Iwamoto, MS Bom Futuro, Asai e Sítio São Francisco.

Para buscar a regularização, os avicultores do Amazonas devem procurar uma Unidade de Sanidade Animal e Vegetal (Ulsav) da Adaf em seu município.

A entrega do registro aos novos estabelecimentos teve a participação, entre outros nomes, do presidente da Faea, Muni Lourenço, do presidente interino da Associação Amazonense de Avicultura (Aama), Marcio Miyamoto, e do superintendente federal de Agricultura no Amazonas, Guilherme Pessoa.

Para Muni Lourenço, a entrega dos registros a sete empreendimentos avícolas é uma grande conquista para o Amazonas. “Isso mostra que a Adaf tem uma gestão pautada pela celeridade, com rapidez no andamento da concessão dos certificados de registro e também do Serviço de Inspeção Estadual (SIE). Isso é importante para que as granjas possam obter regularização e ampliar sua perspectiva de faturamento, geração de emprego e de acesso a mercados”.