Manaus, Segunda-Feira, 19 de Novembro de 2018

Amazonas e Acre discutem ações para a retirada da vacina contra a febre aftosa

12:50 - 29/05/2018

O diretor-presidente da Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Amazonas (ADAF), órgão integrante do Sistema Sepror, Sérgio Muniz, juntamente com uma equipe de médicos veterinários do órgão reuniram-se nesta terça-feira (29), com o presidente do Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Acre (Idaf), Ronaldo Queiroz, para tratar sobre as ações que serão executadas para a retirada da vacina contra a febre aftosa, prevista para iniciar a partir de junho de 2019, nos respectivos estados. As tratativas sobre esta pauta, seguem até esta quarta-feira (30/05), no estado acreano.

De acordo com o diretor-presidente da ADAF, Sérgio Muniz, as ações integram o Plano Estratégico 2017-2026 referente ao Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento que prevê a retirada da vacinação contra a doença até 2023 em todo o território brasileiro.

“Agora temos um novo pleito e precisamos ter a segurança para executar o nosso trabalho de defesa agropecuária nesta etapa que o Amazonas vai iniciar com o Acre e Rondônia para a retirada da vacina contra a febre aftosa” afirmou. “Temos um dever de casa para cumprir”, comentou o diretor-presidente da ADAF.

País dividido em blocos- Segundo Sérgio, para iniciar este novo processo, o País foi dividido em cinco blocos. No bloco I integram os Estados do Acre e Rondônia, além da região sul e sudeste do Amazonas – incluindo doze municípios devido a localização geográfica. Entre eles: Apuí, Boca do Acre, Canutama, Humaitá, Lábrea, Manicoré, Novo Aripuanã, Pauini, Guajará, Envira, Eirunepé e Ipixuna.”Esses doze municípios representam mais de 60%  do rebanho do Amazonas”, destacou o diretor.

Ao todo são cerca de  662 mil cabeças de gado entre bovinos e bubalinos. O Amazonas possui um rebanho total de 1.305.977. O município que se destaca com o maior rebanho é Boca do Acre com 357.161  (bovinos), 274 (bubalinos), no total 357.792. Em seguida Apuí com 138.873 (bovinos) e 166 (bubalinos) totalizando 139.0393 cabeças de gado e em terceiro Manicoré com 108.520  (bovinos) e 163 (bubalinos), num total de  103.880 cabeças.

Divisão dos blocos- O Amazonas participa do bloco II (com 50 municípios), juntamente aos Estados de Roraima, Amapá e Pará. No Bloco III: Alagoas, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí e Rio Grande do Norte; Bloco IV: Bahia, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Sergipe e Tocantins, e; Bloco V: Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná e Rio Grande do Sul.

Atualmente, o Brasil possui apenas um Estado da federação livre de febre aftosa sem vacinação, que é Santa Catarina, reconhecido pela Organização Mundial de Saúde (OIE). Recentemente, o Amazonas foi reconhecido internacionalmente como área livre de febre aftosa com vacinação pelo órgão internacional.

Além dos diretores-presidentes da ADAF e IDAF, participam dos debates os gerentes de defesa animal do Amazonas e Acre, a coordenadora do PNEFA no Amazonas, e os médicos veterinários que atuam nos municípios que fazem divisa com o Acre: Boca do Acre e Guajará.