Manaus, Segunda-Feira, 19 de Novembro de 2018

Médicos veterinários colocam em prática treinamento em sanidade suína

10:29 - 05/07/2018

 

Os médicos veterinários da Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Amazonas (Adaf), órgão vinculado à Secretaria de Estado da Produção Rural (Sepror), colocaram em prática o treinamento em vigilância epidemiológica para Peste Suína Clássica (PSC), nesta quarta-feira (04/07). O treinamento encerra nesta quinta-feira (05/07) e faz parte das diretrizes do Programa Nacional de Sanidade Suídea (PNSS), do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Ao todo 30 médicos veterinários da Adaf participam da capacitação. O treinamento foi realizado em uma propriedade rural, localizada no Rio Preto da Eva. De acordo com o órgão de defesa essa propriedade rural foi escolhida por possuir uma granja de suíno e por ter em seu perímetro um abatedouro de suínos que possui o Serviço de Inspeção Estadual (SIE), apto para a realização de necropsias.

Treinamento- Durante a aula prática, instruída pelo auditor fiscal federal agropecuário do Mapa, Guilherme Takeda, os médicos veterinários coletaram sangue em suínos, incluindo todas as etapas, como a contenção do animal, eutanásia, prática de necropsia, colheita do material e envio de material para diagnóstico da peste suína clássica.

“Esse treinamento visa capacitar os médicos veterinários do Amazonas, na identificação, na colheita de material, necropsia e envio de material para diagnóstico da peste suína clássica e, esse projeto tem importância econômica para o Brasil e, é importante que os colegas da Adaf estejam capacitados para identificar e agir em casos de suspeita da doença”, comentou Guilherme Takeda do Mapa.

Para o coordenador estadual de sanidade suídea da Adaf, Diego Laner, o treinamento em parceria com o Mapa, direcionado aos médicos veterinários que atuam no sistema de defesa sanitária animal do Amazonas representa em suma importância, o trabalho para que seja iniciada a erradicação da peste suína clássica nos estados do Norte e também para o cumprimento de meta em erradicar a doença no Amazonas até 2023 e em todo o Brasil até 2025 com o reconhecimento internacional pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE).

“A ideia desse treinamento é que nossos médicos execute todo o processo de ir nas granjas, realizando um levantamento do plantel suíno no Estado, a coleta sorológica de material para que seja feito os exames em casos de suspeitas, onde será enviado para o laboratório, para posterior confirmação ou não”, comentou Diego Laner.

Classificação da doença- Atualmente os estados que compõem a região norte e nordeste estão classificados como risco desconhecidos para a peste suína clássica. No Amazonas a previsão para a realização do inquérito epidemiológico da doença vai iniciar a partir de 2019.

Para o diagnóstico serão colhidas amostras de algumas propriedades que possuem suínos para subsistências que servirão para o processo de análise da doença no Estado.

Produção: O Amazonas possui 37.694 suídeos. Esse número pode ser alterado, pois está sendo realizado um levantamento pelo órgão de defesa.  Rio Preto da Eva é dos municípios do Estado que possui o maior plantel de suínos com mais de 4 mil animais. Em seguida Apuí com 3.340 e a capital de Manaus com 2.233.

Sobre a doença:  A peste suína clássica é uma doença que acomete suínos e javalis, ela é altamente contagiosa e é caracterizada por febre alta, lesões avermelhadas na pele e alta mortalidade.