Manaus, Segunda-Feira, 19 de Novembro de 2018

Pesquisadores lançam aplicativo que deve ajudar agricultores no Amazonas

12:37 - 17/04/2018

 

O lançamento do aplicativo Nutrisolo foi realizado na manhã desta terça-feira (17), no auditório do Idam, na sede do Sistema Sepror em Manaus. Para os envolvidos no projeto, este é um marco da união entre pesquisa e tecnologia a serviço do desenvolvimento do setor primário.

O aplicativo faz um projeção das necessidades de adubação e calagem do solo para o cultivo de abacaxi, citrus, banana e macaxeira, e está disponível para Android.  Ele foi desenvolvido pelo pesquisador bolsista Marcos Salame e é resultado de parceria entre Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – Embrapa com apoio financeiro da Fundação de Amparo à Pesquisa – Fapeam, e com o aval de técnicos do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal do Amazonas – Idam, que faz parte do Sistema Sepror.

Estiveram presentes no lançamento, o secretário Executivo da Sepror, Alexandre Araújo, o secretário de Políticas Agropecuárias e Florestais – Seapaf/Sepror, Fernando Vieira, o presidente da Fapeam, Edson Barcelos, o chefe geral interino da Embrapa, Celso Paulo de Azevedo, o Presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Amazonas – Faea, Muni Lourenço, o diretor de Assistência Técnica e extensão Rural do Idam, Airton Schneider, além do secretário de Pesca e Aquicultura – Sepa/Sepror, Geraldo Bernardino e do Diretor –presidente da Agência de Defesa Agropecuária do Amazonas – Adaf, Sérgio Muniz e servidores das instituições.

Para o chefe interino da Embrapa Amazônia Ocidental, Celso Paulo de Azevedo, o papel do Sistema vai ser fundamental. “O Idam nos ajudou a corrigir falhas e depois na validação do produto. E tenho certeza de que serão os principais multiplicadores deste aplicativo” finalizou ele.

O Secretário Executivo da Sepror, Alexandre Araújo, destacou a importância da novidade tecnológica, bem como da parceria institucional. “Parece algo simples, mas é um diferencial para os técnicos extensionistas e produtores rurais. É transformar a pesquisa em desenvolvimento para o campo”, afirmou o secretário.

Para o pesquisador e presidente da Fapeam, Edson Barcelos, a missão da Fundação é transferir conhecimento científico para o campo e a longo prazo. “Queremos conduzir editais de longo prazo, de 10 anos. Estamos dando andamento de projetos com a Sepror tanto na piscicultura quanto na agricultura com este objetivo, desenvolvimento a longo prazo”, destacou Barcelos.

Roberta Peixoto/ Asscom Seapaf/Sepror