Manaus, Segunda-Feira, 19 de Novembro de 2018

Plano para a retirada da vacina contra febre aftosa é debatida no Amazonas

17:36 - 09/04/2018

O Plano Estratégico 2017-2026 do Programa Nacional de Erradicação da Febre Aftosa (Pnefa), do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), que prevê a retirada total da vacinação no país até 2023 será debatida no Amazonas, nos dias 10 (terça-feira) e 11 (quarta-feira) de abril, no auditório Floriano Pacheco da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), localizado no Distrito Industrial, zona sul da capital a partir das 8h. O evento vai reunir representantes dos órgãos de serviço veterinário da região norte e nordeste e entidades privadas.

No Amazonas, as ações para a retirada da vacina contra a febre aftosa serão executadas pela Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Amazonas (Adaf), órgão integrante do Sistema Sepror em parceria com a Superintendência de Agricultura no Amazonas (SFA-AM).

De acordo com o diretor-presidente da Adaf, Sergio Muniz, o país foi dividido em cinco blocos, para que seja feita a transição de área livre da aftosa com vacinação para sem vacinação. Rondônia e Acre formam o bloco I e serão os primeiros estados do país a pararem de vacinar a partir de junho de 2019.

No Amazonas a retirada total da vacina está prevista para 2020, assim como no Amapá, Roraima e Pará que integram o segundo bloco. No entanto os municípios de Apuí, Boca do Acre, Canutama, Humaitá, Lábrea, Manicoré, Novo Aripuanã, Pauini, Guajará, Envira, Eirunepé e Ipixuna  iniciarão o processo para a retirada da vacina a partir de maio de 2019.

“Esta é a primeira reunião para que possamos traçar as medidas necessárias para que o Amazonas e os outros estados que integram esse grupo definam as ações para a retirada da vacina que será feita em etapas e devem começar a partir de 2019”, destacou o diretor presidente da Adaf.

Atualmente, o Brasil possui apenas um estado da federação livre de febre aftosa sem vacinação, que é Santa Catarina reconhecido internacionalmente pela Organização Mundial de Saúde (OIE). Para o próximo mês, o Amazonas deve ser reconhecido internacionalmente como área livre de febre aftosa com vacinação pelo órgão internacional.

Programação – No primeiro dia, haverá a apresentação do Plano Estratégico 2017-2026 do Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa (Pnefa). O plano será apresentado pelo diretor do Departamento de Saúde Animal do Mapa, Guilherme Marques. Os estados que integram o bloco II apresentarão medidas de controle de trânsito interestadual de animais, produtos e subprodutos através de mapas, fluxos, propostas de barreiras nas fronteiras.

O Programa de Erradicação da Peste Suína Clássica no Norte e Nordeste também será tema de uma das apresentações, por meio do Mapa.