Manaus, Segunda-Feira, 19 de Novembro de 2018

Sistema Sepror capacita técnicos sobre práticas de manejo e fabricação do açaí no AM

18:47 - 27/04/2018

 

O Sistema Sepror, por meio da Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Amazonas (ADAF) e o Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal do Estado do Amazonas (IDAM), capacitaram técnicos que atuam na cadeia produtiva do açaí no Estado do Amazonas com o curso em “Boas Práticas de Manejo e Fabricação do Açaí”. Responsáveis das Unidades Veterinárias Locais (UVLS) e Escritórios de Atendimento a Comunidades (EAC) da ADAF e gerentes das Unidades Locais do IDAM, no interior participaram da programação durante dois dias.

O encerramento ocorreu nesta sexta-feira (27/04), com a entrega dos certificados aos participantes. O treinamento teve como proposta qualificar os técnicos para que sejam agentes multiplicadores para executar práticas corretas nos processos de colheita, despolpamento, embalagem, transporte, manutenção e armazenamento do produto aos envolvidos nesta cadeia produtiva..

Defesa agropecuária e florestal- De acordo com o diretor-presidente da Adaf, Sergio Muniz dentro do trabalho de defesa agropecuária e florestal, este treinamento teve apoio do Sistema Sepror (IDAM, ADAF, ADS, SEPA e SEAPAF) em parceria com Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM), a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), e o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), através da Superintendência Federal de Agricultura no Amazonas (SFA-AM).

“Essa é uma das estratégias do Governo do Amazonas para capacitar os técnicos do Sistema Sepror para serem agentes multiplicadores, no sentido de orientá-los sobre o combate e os riscos de contaminação do açaí, em particular a doenças de chagas, causada pelo inseto popularmente conhecido como barbeiro”.

Sergio deu ênfase ao apoio da Fundação de Medicina Tropical Doutor Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD) e a FVS-AM, órgãos da Secretaria de Estado de Saúde (Susam) que pela primeira vez através de análises laboratoriais foi comprovada cientificamente a presença do parasita no alimento, o que antes, a comprovação era feita por associação, após surtos da doença, no município de Lábrea.

“Essa iniciativa é uma questão de saúde pública, ambiental e econômica. O açaí é um dos produtos que fazem parte do agronegócio amazonense e, hoje ele possui qualidade superior à outros estados. E os nossos técnicos serão responsáveis para fazer a extensão do que foi transmitido nesta capacitação aos produtores rurais”, destacou o diretor presidente da Adaf.

Potencial econômico – O secretário executivo da Secretaria de Produção Rural (Sepror), Alexandre Aráujo reforçou que o açaí representa um grande potencial econômico para o Estado do Amazonas e que possui 80% mais antioxidantes que o açaí do estado do Pará na prevenção do câncer e outras doenças. “Nesse sentido, é agora que temos que reforçar a qualidade sanitária do nosso açaí, com a nossa área técnica, na inspeção vegetal para que possamos vender o nosso produto para o mercado nacional e mundial que estão de portas abertas”, destacou, Alexandre.

Para Luciana Ferreira, responsável do EAC da ADAF em Codajás, um dos maiores municípios do Estado que produz o açaí, a iniciativa surte o efeito da preocupação dos órgãos e principalmente da entidade de defesa agropecuária e florestal.

“O açaí é um dos produtos que mais geram renda no município e este encontro demostra que nós temos o papel e o compromisso de orientar os produtores e batedores de açaí e, a nossa preocupação é com a saúde pública de passar um alimento de qualidade aos consumidores”, destacou.

Para o coordenador do curso, Machaell Santos da Adaf, esta iniciativa da ADAF vai viabilizar outras ações para outros processos de polpas, no Amazonas. “A Adaf acredita que esta capacitação foi um passo importante para que o atual quadro de riscos de contaminação nos processos de fabricação de polpa de fruta , em particular o açaí, possam realmente ser atenuados”, comentou.

 

Educação Sanitária: Os representantes de Lábrea, Humaitá, Coari, Anori, Codajás, Manacapuru, Careiro da Várzea, Manaus, Maués, Caapiranga; além de produtores e empresários da cadeia produtiva do açaí participaram da capacitação e receberam cartilhas elaboradas de boas práticas de fabricação do açaí para execução de atividade em seus respectivos municípios.

Transmissão Centro de Mídias- Nos dias 21 e 28 de maio, o Curso ‘Boas práticas de Fabricação do Açaí’, será transmitido via Cento de Mídias de Educação do Amazonas (Cemeam), para produtores do cultivo de açaí e público afins.