Manaus, Segunda-Feira, 19 de Novembro de 2018

Sistema Sepror e Fapeam vão desenvolver projeto de sistema de energia solar e tratamento de água para intensificar a cadeia produtiva do leite

11:43 - 29/06/2018

 

O Sistema Sepror (IDAM, ADAF, ADS, SEAPAF e SEPA), em parceria com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (FAPEAM) vão desenvolver um projeto de sistema de energia solar e tratamento de água para intensificar a cadeia produtiva do leite no Estado do Amazonas. O secretário executivo adjunto de políticas agrícolas, pecuária e florestal (Seapaf/Sepror), Fernando Vieira e o presidente da Fapeam, Edson Barcelos estiveram na manhã desta quinta-feira (28), no município de Autazes, distante a 108 quilômetros de Manaus, visitando modelos de queijarias artesanais flutuantes e de terra firme da região.

Qualidade sustentável- De acordo com o secretário executivo da Seapaf, Fernando Vieira, o projeto vai ajudar os produtores a terem água de qualidade, obtida de forma sustentável e muito mais econômica. O modelo de queijaria flutuante atualmente utiliza energia monofásica e água de poço e foi desenvolvido para atender o fluxo migratório dos produtores rurais conforme o período de cheia e seca do rio, no sentido de aproveitar as áreas de várzea que são bioma rico em pastagens nativas, diminuindo assim a pressão de pastejo em terra firme proporcionado descanso ao solo.

“A ideia é buscar uma solução para o tratamento de água e a geração de energia via placa solar e esse projeto ficará totalmente autossustentável com apelo econômico, economicamente viável e ambientalmente justo, pois os produtores utilizarão a energia da natureza e evitarão a poluição das águas”, comentou o secretário executivo da Seapaf/Sepror.

Fernando explica ainda que nestas áreas de várzea não é possível construir um poço artesiano, submetendo aos produtores rurais a utilizar a água do rio, e isto tem sido um entrave para o desenvolvimento do setor leiteiro. “Partindo disto, vamos desenvolver um modelo de tratamento de água do rio para esta demanda no período em que os produtores se deslocam para as várzeas”, comentou o secretário executivo da Seapaf.

O projeto será desenvolvido através do modelo de queijaria artesanal flutuante e de terra firme. Duas estruturas de queijarias visitadas durante a atividade técnica são legalizadas pela Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Amazonas (ADAF), por meio do Serviço de Inspeção Estadual (SIE), outras duas deram entrada ao requerimento junto à agência para se regularizarem.

Apresentação- Técnicos do Sistema Sepror apresentaram o modelo da indústria de queijo para os professores da área de engenharia mecânica e elétrica da Universidade Estadual do Amazonas (UEA), explicando como ocorre o processo de produção desde a ordenha à pasteurização e o processamento do produto.

De acordo com o presidente da Fapeam, o projeto será executado pelos respectivos professores, e o órgão de pesquisa vai subsidiar a pesquisa. “ A proposta foi conhecer o processo para que os professores dessa área avaliem a possibilidade e viabilizarmos um sistema de geração de energia através de placas solares para atender todas as necessidades dessas queijarias, tanto em água para o processo, quanto em água tratada e de boa qualidade para a refrigeração do queijo”, comentou, Edson Barcelos presidente da Fapeam.

Edson destaca ainda que a ideia é incorporar tecnologia, melhorar o processo de maneira que seja interessante para o produtor rural, mas principalmente que possa permitir oferta de melhor qualidade.

“Queremos ter um queijo cada vez melhor, com a maior segurança alimentar e com valor agregado por ser um produto  capaz de competir com o queijo que vem do Sul e nós esperamos que com essa parceria entre as instituições, conseguiremos desenvolver um projeto melhorando ainda mais o que já foi executado pelo Sistema Sepror”, destacou.

Produção da cadeia produtiva do leite-  De acordo com dados da Adaf, mais de 6,8 milhões de toneladas representam a produção do leite e derivados  no Amazonas, como por exemplo, o leite pasteurizado, iogurte, queijo, manteiga, coalhada, queijo ralado, leite em pó, bebida láctea, doce de leite, requeijão e ricota.

No Amazonas mais de 1000 produtores rurais estão envolvidos na criação bovina e bubalina de leite. Os municípios que se destacam com a bacia leiteira são os municípios de: Careiro da Várzea, Boca do Acre, Autazes, Santo Antônio do Matupi (Manicoré) e Parintins.

Sobre o Sie– O Serviço de Inspeção Estadual (S.I.E.) da Agência de Defesa Agropecuária e Florestal (Adaf) do Estado do Amazonas, quando se trata de produtos destinados ao comércio estadual. Pelos municípios quando a produção se destinar ao comércio municipal (S.I.M.) e Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) quando a produção se destinar ao comércio interestadual (S.I.F.)