Manaus, Sexta-Feira, 13 de Dezembro de 2019

Sistema Sepror inaugurou mais duas queijarias flutuantes em Autazes e visitou agroindústria de laticínios

09:29 - 01/07/2019

Durante Dia no Campo no município, equipe conheceu também o Parque de Exposições, onde acontecerá a Feira do Leite

Nesta quinta-feira (27/06), o Sistema Sepror, por meio do Projeto “Rota do Queijo”, promoveu o Dia no Campo em três queijarias no município de Autazes (a 108 quilômetros de Manaus), sendo uma agroindústria e duas queijarias no estilo flutuante. São elas a Autalac, primeira agroindústria de laticínio da região e já certificada; e as queijarias São José e Santa Maria, que receberam o Selo de Inspeção Estadual (SIE), emitido pela Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Amazonas (Adaf), autarquia vinculada à Secretaria de Estado de Produção Rural (Sepror).

A agroindústria Autalac, que já está certificada desde 2011, trabalha com volume aproximado de 6 mil litros de leite ao dia, o que equivale a 600 quilos de queijo, e contribui para o escoamento da produção de 55 produtores da agricultura familiar.

As queijarias flutuantes São José, na Fazenda Agarape, e Santa Maria, na Fazenda Santa Maria, passam a produzir com o SIE. A Santa Maria terá uma produção de 600 litros de leite por dia, a partir da qual produzirá de 60 a 70 quilos de queijo para o mercado local e da capital.

O titular da Sepror, Petrucio Magalhães Júnior, destacou as peculiaridades das queijarias flutuantes. “Essa é uma planta concebida para o Bioma Amazonas, de cheia e várzea, e preenche todos os requisitos e exigências das normas sanitárias, de modo que o Amazonas já coloca esse modelo à disposição de outros estados. Com a possibilidade de uma queijaria eficiente, fabricando produtos lácteos de alta qualidade e 100% regional”, disse Petrucio.

A queijaria São José começa o seu processamento inicial com 400 litros de leite por dia, o que irá gerar uma média de 40 a 50 quilos de queijo. Alex Rebelo, filho do proprietário, agradeceu pelo apoio recebido do Governo do Estado, por meio do Sistema Sepror.

“Sem o apoio de vocês, do Governo do Estado, e da Prefeitura, nós ainda estaríamos enrolados nos trâmites. No mais, de agora em diante, é colocar para frente e fazer com que esse queijo chegue a todo o Amazonas”.

O diretor-presidente da Adaf, Alexandre Araújo, mostrou a importância do projeto para o produtor de queijo. “Esse trabalho é muito importante para nós, pois oportuniza a essas famílias a possibilidade se produzir queijos atendendo a todos os requisitos sanitários e garantindo a comercialização desse produto em todo o Estado do Amazonas”, declarou ele.

Queijarias flutuantes – As queijarias do modelo flutuante, com um método de produção único no mundo, promovem a produção de derivados lácteos com serviço de inspeção e mobilidade. Hoje, o município de Autazes já conta com cinco queijarias neste modelo, que contribui para o processamento leiteiro em dois biomas amazônicos, várzea e terra firme, visto que, na realidade da região, o produtor trabalha de forma tradicional, aproveitando os campos de pastagem naturais das várzeas no período de seca do rio.

 

Desta forma, ele poderá ter sempre sua produção com serviço de inspeção, seja em qual for o ambiente que esteja, por meio de somente um empreendimento.

Feira do Leite – Ainda durante o Dia no Campo, foi realizada visita para verificar a reforma do Parque de Exposição, onde vai ocorrer a Feira do Leite de Autazes, entre os dias 21 e 27 de julho.