Manaus, Segunda-Feira, 19 de Novembro de 2018

Sistema Sepror em Itacoatiara visita estruturas de queijarias artesanais que estão em processo de legalização

11:21 - 04/05/2018

 

Nesta quinta-feira 3, na comunidade Paraná da Eva, zona rural de Itacoatiara, a 176 quilômetros de Manaus, uma equipe do Sistema Sepror, composta pelo diretor-presidente da Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Amazonas (Adaf), Sergio Muniz, o secretário de Políticas Agropecuárias e Florestais do Amazonas (Seapaf), órgãos vinculados à Secretaria de Produção Rural (Sepror), Fernando Vieira, médicos veterinários e engenheiros visitaram estruturas de queijarias artesanais que estão em processo de legalização com o Serviço de Inspeção Estadual (SIE).

 

De acordo com o secretário adjunto de Políticas Agropecuárias e Florestais do Amazonas, Fernando Vieira este trabalho é uma continuidade das visitas técnicas do Programa de Regularização de Queijarias, chamado “Rota do Queijo”, desenvolvido pela (Seapaf/Sepror), com apoio de órgãos vinculados ao Sistema (Ads, Adaf, Idam), da Agência de Fomento do Estado – Afeam e da Universidade Federal do Amazonas -Ufam, além das prefeituras dos municípios envolvidos.

“Estamos visitando e orientando os produtores rurais e explicando que existe uma solução para que os produtos sejam produzidos com uma boa qualidade e adequando a nossa realidade. A verdade é que não existe o proibido e sim a maneira correta de fazer”, destacou o secretário adjunto, Fernando Vieira.

Atualmente a comunidade Paraná da Eva, possui 30 mil cabeças de gado e 9 estabelecimentos de queijarias artesanais estão em processo de regularização. É uma região que faz fronteira com os municípios de Careiro da Várzea, Autazes e a região metropolitana de Manaus.

Para Maria Ivanildes que está buscando a regularização de sua queijaria artesanal a visita dos técnicos representa a responsabilidade junto com os produtores rurais e um passo positivo para que o produto tenha mais garantia no mercado. “Vou aproveitar a estrutura que já possuo e só adequar com as exigências do órgão de inspeção e terei a certeza que no mercado estarei oferecendo um produto com boa qualidade e com a certificação de origem”, comentou  Ivanildes.

Para o diretor-presidente da Adaf, Sergio Muniz a proposta é simplificar as edificações das estruturas já existentes e caprichar no trabalho de qualidade. “O Sistema Sepror está disposto a oferecer cursos de boas práticas de fabricação do queijo. Aqui esses produtores já tem um trabalho de pecuária que é tirar o leite de búfalos e bovinos. Então só precisamos fazer esse trabalho de inserir o produto no mercado e dando a qualidade para isso”, destacou o diretor presidente da Adaf, Sergio Muniz.