Manaus, Quarta-Feira, 23 de Setembro de 2020

Adaf reforça fiscalização em estabelecimentos comerciais no AM

08:39 - 24/08/2020

A Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Amazonas (Adaf) tem reforçado as ações de fiscalização em estabelecimentos comerciais no Amazonas. Durante a quinta (20/08) e a sexta-feira (21/08), uma equipe de fiscais agropecuários engenheiros agrônomos da autarquia, realizou fiscalização de comércio de agrotóxicos no município de Manacapuru (distante 68 quilômetros de Manaus).

A atividade se dá, sobretudo, no combate à venda ilegal e indiscriminada de produtos sem receita agronômica ou de produtos fracionados.

“A fiscalização de estabelecimentos comerciais no estado do Amazonas é muito importante para coibir a venda ilegal de agrotóxicos, pois, para realizar a venda desses produtos, os  estabelecimentos comerciais devem estar registrados na Adaf. Para isso eles devem cumprir uma série de exigências previstas em lei e só realizar a venda mediante apresentação do receituário agronômico”, comentou Cristiane Klehm, fiscal agropecuária engenheira agrônoma.

A ação de fiscalização foi realizada em três  estabelecimentos comerciais da região. Os fiscais agropecuários da Adaf executaram o levantamento de agrotóxicos expostos à venda e em estoque, e se os produtos estavam cadastrados na Adaf. Eles observaram também a identificação do número de registro do produto no Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa), o nome comercial, fabricante, número do lote, validade e quantidade total dos produtos.

Mais de 190 litros e 91,4 quilos de agrotóxicos irregulares foram detectados pelos fiscais agropecuários.

Em um dos estabelecimentos, a equipe composta pelos fiscais engenheiros agrônomos, Cristiane Klehm e Helio Matos, identificou algumas irregularidades no estoque, como produtos vencidos não cadastrados na Adaf, embalagens sem identificações obrigatórias e vazamentos. As empresas responsáveis pelos produtos serão notificadas para o recolhimento dos agrotóxicos.

Para Francisca Oliveira, responsável da Casa da Ração, a fiscalização funciona como uma orientação que esclarece os procedimentos necessários para a comercialização desses produtos e para que os produtores possam adquirir e utilizar agrotóxicos corretamente em suas propriedades rurais.

“Na parte da saúde, tem muitos produtores que não sabem manusear, e eles  acabam  se intoxicando. Aqui eu tenho orientado as pessoas para que elas utilizem o Equipamento de Proteção Individual (EPI)”, destacou.

A Adaf alerta que os agrotóxicos só podem ser adquiridos em estabelecimentos comerciais registrados na agência por meio do  receituário agronômico emitido por um profissional habilitado.