Manaus, Domingo, 26 de Junho de 2022

Boca do Acre e Humaitá se destacam entre os municípios com o melhor índice vacinal do rebanho imunizado contra a febre aftosa

08:37 - 21/12/2017

 

Os municípios de Boca do Acre e Humaitá se destacaram com o melhor índice vacinal, contra a febre aftosa. Boca do Acre atingiu 99,75 % e Humaitá 97,99%.  O Governo do Amazonas, por meio da Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Amazonas (ADAF), órgão vinculado à Secretaria de Produção Rural do Amazonas (Sepror) concluiu, no dia 15 de dezembro, a 2ª etapa da campanha “Amazonas sem Aftosa” em 21 municípios.

Os municípios que participaram dessa etapa foram: Apuí, Barcelos, Canutama, Carauari, Eirunepé, Envira, Humaitá, Ipixuna, Itamarati, Juruá, Lábrea, Manicoré, Novo Airão, Novo Aripuanã, Pauini, Presidente Figueiredo, Santa Isabel do Rio Negro, Guajará, Boca do Acre, São Gabriel da Cachoeira e Tapauá.

Esta ação de defesa agropecuária e a sanidade animal dentro do trabalho de erradicação da doença no Estado do Amazonas seguem as diretrizes do Programa Nacional de Erradicação da Febre Aftosa (PNEFA), do Ministério da Agricultura e Abastecimento (MAPA), que no dia 4, de dezembro possibilitou a certificação do Amazonas como área livre de febre aftosa e o reconhecimento nacional pelo ministro da Agricultura, Blairo Maggi.

Em 2005, Boca do Acre foi um dos primeiros municípios do Amazonas incluído na zona livre de febre aftosa com vacinação pelo Mapa, junto com Guajará, o Sul de Canutama e o Sul de Lábrea. Atualmente Boca do Acre possui 359.456 animais entre bovinos e bubalinos. Humaitá nesta etapa imunizou 22.423 animais.  “Isso demostra o compromisso dos nossos produtores rurais, da importância de vacinarem o seu rebanho e a presença da Adaf nos município distantes da sede de Manaus”, comentou a gerente de defesa animal da Adaf, Joelma Silva.

Hoje o Amazonas possui um rebanho de 1.305.977 bovídeos (bovinos e bubalinos) e 17.734 produtores cadastrados. O Estado tem promovido ações efetivas no decorrer dos anos que objetivou  tornar o Amazonas área livre de febre aftosa com vacinação com reconhecimento nacional neste ano e em 2018  o reconhecimento internacional pela Organização Mundial de Saúde (OIE).