Manaus, Segunda-Feira, 19 de Novembro de 2018

Edital para inscrição no concurso público da Adaf é publicado

14:51 - 04/09/2018

O edital de abertura para inscrição do concurso público da Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Amazonas (Adaf), órgão vinculado à Secretaria de Estado da Produção Rural (Sepror), para o provimento de 208 vagas no Amazonas, foi publicado por meio do Instituto AOCP nesta terça-feira (04/09), empresa contratada para a realização do concurso.

Inscrições – As inscrições devem ser feitas pelo site do Instituto AOCP, no endereço eletrônico www.institutoaocp.org.br, até o dia 8 de outubro. As taxas de inscrição para nível fundamental estão fixadas em R$ 50, para médio R$ 70, superior e técnico de nível superior R$ 90.

As provas serão realizadas no dia 9 de dezembro, nos municípios de Humaitá, Manaus, Tefé e Parintins. O concurso terá duas etapas, sendo a primeira fase com provas objetiva e discursiva. Na segunda etapa, será realizada a prova de títulos.

Áreas – As vagas ofertadas serão para fiscal agropecuário nas especialidades de médico veterinário, engenheiro agrônomo e engenheiro florestal, contador, economista, estatístico, analista de rede, administrador e jornalista. No nível médio/técnico, o cargo será para técnico de fiscalização agropecuária, para o cargo de agente de fiscalização agropecuária o pré-requisito somente o ensino médio completo, assim como o cargo de assistente técnico. Para o nível fundamental, as vagas serão para auxiliares de fiscalização agropecuária, motoristas fluviais e terrestres.

Salários- Os salários para nível superior variam entre R$ 5.632,23 e R$ 6.570,95; para ensino médio e técnico R$ 3.379,35 e R$ 3.942,54; e ensino fundamental R$ 2.297,95 e R$ 2.202, 20.

Fortalecimento do serviço – Para o diretor-presidente da Adaf, Sergio Muniz, o concurso veio para fortalecer o serviço de defesa agropecuária e inspeção, oportunizando segurança jurídica.

“Este concurso irá fortalecer de maneira definitiva e com segurança jurídica todos os serviços prestados pela Adaf, possibilitando aumentar o quantitativo de empresas que irão sair da clandestinidade e passarão a ser formalizadas, aumentando a receita, gerando empregos, renda, interiorização da economia, tanto no entorno de Manaus, como também nos municípios interioranos”, destacou o diretor-presidente da Adaf, Sergio Muniz.